Como facilitar o processo de dobra de peças pequenas?

0

Na fabricação de máquinas e equipamentos, um dos principais problemas para a gestão industrial está relacionado aos processos manuais, gerando gargalos. Estes processos, devido às características operacionais, são mais lentos que os anteriores e posteriores, o que gera um atraso no processamento e redução do fluxo de itens que passam pela operação.

Vamos imaginar que, numa indústria de fabricação de máquinas, 3 operações precisem ser realizadas para a fabricação de um equipamento: corte, dobra e montagem.

Nesse equipamento, são necessárias 50 peças iguais, cortadas e dobradas. Enquanto no corte o equipamento CNC tem a capacidade de cortar os 50 itens, de forma automática, para dobrar estas 50 peças precisaríamos que a dobradeira realizasse 50 vezes o ciclo de dobra, peça por peça, independente da sua dimensão. Como o processo de dobra é o mais lento, faltam peças na montagem.

Figura 1 – Peça em processo de dobra

Fonte: https://www.trumpf.com/pt_PT/produtos/maquinas-sistemas/dobradeiras/

Uma solução para este problema pode vir do processo de corte, em que as peças, em vez de serem cortadas uma a uma, seriam processadas em clusters ou módulos. No exemplo abaixo, um módulo com 4 peças foi criado, permitindo a dobra simultânea de 4 itens.

Como criar esse módulo no Lantek e armazená-lo para uso posterior?

No vídeo abaixo o processo completo é apresentado.

Essa ideia – unir várias peças para facilitar o processo de dobra – não é nova. É comum, em clientes que utilizam este processo, observar esse tipo de técnica, em que as peças são unidas no módulo CAD, transformando 4 itens em um só.

via GIPHY

O problema em desenhar as peças juntas está relacionado ao gerenciamento da demanda produtiva e à redução do aproveitamento de material. Vamos imaginar que um determinado produto é vendido e para fabricá-lo precisamos:

ITEMQUANTIDADE
Peça 1237
Peça 3452

Se o item “Peça 123” foi desenhado num módulo de 4 peças, para facilitar o trabalho, normalmente 2 módulos seriam adicionados ao nesting, somando 8 itens.

Figura 2 – Peça 123

Consequentemente, alguns itens desnecessários são fabricados, demandando que esse item adicional seja gerenciado, tanto pelo ERP quanto fisicamente.

Ao analisarmos sob a ótica do aproveitamento de material, definindo uma geometria para cortar 4 peças, um fator importante é ignorado: a liberdade do software para definir, com base na eficiência do nesting, em usar um módulo de peças ou não.

Ficou com alguma dúvida? Confira mais informações no nosso site clicando aqui e fale conosco!

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui