Engenharia de Sistemas – Systems Engineering

 

Por Guilherme Kastner,
Engenheiro de Aplicações na SKA

 

Todo mundo busca uma forma ordenada de desenvolver um produto ou serviço em uma empresa, porém poucos sabem como realmente planejá-lo com uma metodologia. Uma coisa é certa, como diria Sandra Gulland: “We born, we live and we die”. Traduzindo, “nascemos, temos nossa vida e morremos”. Isso se aplica a produtos também, onde existe a famosa curva de maturidade:

curva de maturidade

O mais importante é entendermos que o lançamento de um produto ou serviço é a parte mais crítica dele, e o necessário é que ele seja o mais preciso em seu desenvolvimento para que possamos evitar custos de alteração por erros de documentação ou não atendimento de uma necessidade do cliente.
 
Definição de sistema
Um sistema é um conjunto de elementos ou componentes que são ou estão organizados para um propósito comum. Essa palavra, em alguns momentos, descreve uma organização ou plano por si mesmo (e muitas vezes tem uma significância associada a método, como em “eu tenho um próprio sistema”) e às vezes descreve as peças em um sistema (como em um “sistema de computador”).
Quando falamos de engenharia de sistemas, o termo normalmente é conhecido como systems engineering mesmo, sem tradução para o português, já que falamos de sua aplicação, sendo ela o coração da criação com sucesso de novos sistemas. O profissional responsável por esta atividade tem as seguintes atribuições:
 
concepção e arquitetura de projeto de sistemas;
gerenciamento da complexidade e os devidos riscos;
análise de quão bem o sistema entregue está operando conforme o planejado.
Systems engineering é a disciplina, também pode ser categorizada como um framework, que permite um desenvolvimento bem sucedido, com diversos recursos como:
ferramentas;
técnicas;
métodos;
conhecimento;
padrões;
princípios;
conceitos.
 
Segundo o Incose, Conselho Internacional de Engenharia de Sistemas, a definição de systems engineering, de forma sintética, é:
 
Um approach interdisciplinar e integrativo para uma construção, uso e desativação satisfatória de sistemas de engenharia, através de princípios, conceitos e metodologias científicas, tecnológicas e de gerenciamentos.
 
Um paralelo com PLM
Uma vez que o PLM tem por definição Product Lifecycle Management, do português gerenciamento de ciclo de vida do produto, ele se encaixa muito no planejamento de como o produto nasce, é desenvolvido, utilizado e desativado.
 
Uma ferramenta mais popular no mercado é o PDM, Product Data Management, do português, gerenciamento de dados de produtos. Uma ferramenta de PDM não se encaixa como suporte ao Systems Engineering uma vez que ela participa apenas do gerenciamento de arquivos no desenvolvimento de projetos detalhados na engenharia, não na orquestração e monitoramento de pós-projeto.
O que muitas vezes vem à tona com uma solução via software:
 
Como monitorar alterações de projeto de um determinado item entregue a um cliente específico? Lembro que outros projetos iguais não foram alterados em outros clientes.
Como rastrear problemas mais comuns em clientes?
O que foi citado acima faz parte de Systems Engineering. No futuro, devo trabalhar como um PLM aborda essas questões e as razões para sair do pensamento de que um PDM é um caminho natural, isso será visto em próximos posts da coluna.
 

 


Notícias relacionadas

Para desenvolver um projeto digital com qualidade é necessário que ele siga fielmente as características que serão aplicadas na vida real. A criação...
Por Athos Alves de Souza Área Técnica da SKA Quem aqui que não tem uma planilha de excel mágica para orçamentos? E se fosse possível criar uma...
Por Guilherme Kastner, Engenheiro de Aplicações na SKA Para explicar os usos do gêmeo digital, foram coletados dados de diversas fontes, como o site...